MV Bill defende a cultura como desenvolvimento social

Em entrevista ao blog do 3º Salão do Livro, MV Bill, retratou um pouco do seu trabalho social, a CUFA (Central Única de Favelas), e todo seu desenvolvimento pelo país a fora. Além da importância da realização de salões de livros na região norte, para discutir a literatura e outros vieses da cultura. Confira a entrevista na integra a seguir:

Blog: Qual a importância em participar de projeto como o Salão de Livro?

MV Bill. Já lancei três livros e participar de um salão de livro é importante, uma que coloca em evidência a literatura. Sei que a região norte é uma das regiões que se menos lê no país, e por isso, menos se vendem livros. De 2009 a 2010 já participei de três feiras do livro e isso mostra que há uma preocupação. Fazer com que o livro seja um grande caminho dentro das regiões que não desenvolvem a sua cultura e tem pouco acesso a informação. Por isso acho importante ter um projeto como esse. Além disso, poder marcar presença para discutir literatura e outros assuntos.

Blog: Como é realizado o trabalho da CUFA?

MV Bill. É um trabalho de expansão em vários lugares do Brasil. Agregando a cultura local e fazendo essa inserção através do Rip Rop. O trabalho feito pela CUFA tem uma importância grande, porque não se limita à região sudeste.

Blog: Como projeto CUFA atua na região Norte?

MV Bill. Não consegue crescer muito como em outros lugares devido à falta de apoio. Precisa ter um trabalho em conjunto com as políticas públicas. A CUFA não substitui as ações governamentais, mas acaba funcionando como um fomento às práticas que acredito serem importantes.

Blog: Quais os desafios ao funcionamento da CUFA na região Norte?

MV Bill. A CUFA na região norte já existe há mais de quatro anos. Têm ocorrido muitas mudanças de coordenadores, representantes, várias pessoas interpretam a CUFA de forma equivocada. Acham que será uma produtora que lançará CDs de Rap, promover shows de Rip Rop. Quando entram na coordenação e descobrem que o foco é o trabalho social, não tão artístico vão desistindo no meio do caminho.

Blog: Como é realizado o trabalho da CUFA nos centros de cada região?

MV Bill. Sempre tentamos nos adaptar à realidade local. Por exemplo, no Ceara existem escolas de futebol. É importante fazermos esse trabalho lá porque o acesso a informação ainda é muito restrito. Ao contrário do Rio de Janeiro que possui várias escolas de futebol e por isso, trabalhamos o basquete de rua. É importante que o projeto seja incorporado à necessidade de cada cidade.

Blog: MV Bill já pensou em transformar algum de seus livros em filme?

MV Bill. Não. Sempre tive intenção que as pessoas tomem essa iniciativa e façam um filme do livro dentro de suas próprias cabeças. Nenhum de meus livros os escrevi com intenção de transformá-los em filme.

MV Bill observou que os projetos de desenvolvimento cultural realizados nas regiões Norte e Nordeste, como àqueles estimulares da leitura, por exemplo. Os Salões ou Feiras de livros não recebem atenção da imprensa nacional, como ocorre com os eventos realizados nas regiões Sul e Sudeste.

Entrevista: Aritana Aguiar

Edição: Ednaldo Rodrigues

Foto: Heliane Medeiros

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s